Notícias
Governança corporativa

Governança corporativa e sua importância na área de medicamentos

29/10/2020

Quando falamos sobre medicamentos, a transparência é um dos principais fatores envolvidos no processo. As empresas do setor precisam se adaptar e criar procedimentos organizados capazes de atender as necessidades.

A área da saúde é complexa e isso se dá pela alta necessidade de qualidade e eficiência. Neste ponto, a governança corporativa ganha destaque, pois é o sistema que rege como os negócios são dirigidos, além de garantir a harmonia no relacionamento de todos os envolvidos.

Quando o sistema de governança é bem estruturado, se torna capaz de transformar a visão que o mercado tem em relação a toda a cadeia. Isso vale desde a produção, distribuição, até a comercialização de medicamentos.

Para que você esteja bem informado sobre este tema, nós temos algumas informações bem relevantes. Mas antes, confira quais serão os tópicos abordados:

Responsabilidade corporativa na área de medicamentos

Um dos princípios básicos da governança é a responsabilidade corporativa. Com base nisso, a empresa precisa contemplar um modelo de negócios que leve em consideração o capital humano, intelectual, financeiro, ambiental, dentre outros.

Além disso, será essencial garantir que a visibilidade econômico-financeira seja positiva e envolva todos os setores. Toda as ações desenvolvidas precisam ser pensadas no curto, médio e longo prazo.

Ao observar e garantir que estes pontos sejam cumpridos, a companhia demonstra ao mercado a sua credibilidade.

Na área de medicamentos, este é um fator essencial, pois estamos falando de produtos que são essenciais para a manutenção da vida. Saúde e segurança aqui caminham juntas.

Governança corporativa e a segurança dos processos

A responsabilidade da distribuidora de medicamentos é ter uma governança corporativa estruturada. Sendo capaz de garantir que o medicamento passe por todo o processo, mantendo toda a qualidade.

Veja quais são as etapas desta estrutura:

  • Produzido na indústria farmacêutica;
  • Sai da indústria para a distribuidora de medicamentos;
  • Chega na distribuidora;
  • É armazenado nos Centros de Distribuição;
  • Transportado até hospitais, clínicas, farmácias etc;
  • E, por fim, chega ao paciente.

A governança precisa fazer parte da estrutura como um todo, pois cada etapa tem sua importância e precisa receber a devida atenção.

Comunicação alinhada aos processos e gestão

As políticas e procedimentos internos devem ser bem comunicados e alinhados às regras do setor e aos objetivos estratégicos da empresa.

Neste ponto, a integração é essencial. Toda a equipe precisa conhecer o processo e entender a importância de cada parte para a estrutura como um todo.

Cabe a empresa monitorar e acompanhar todas as atividades, garantindo que os princípios da governança corporativa estabelecidos estejam sendo adotados conforme necessário.

Vale lembrar que é preciso considerar os resultados, que são fortemente impactados por cada ação tomada. Mesmo que estes sejam observados e constatados apenas no fim, quando o medicamento é comercializado, só serão positivos se todas as etapas estiverem trabalhando em conjunto.

A governança envolve desde a cultura, processos, regulamentações e políticas envolvidas na administração das empresas. Como já mostramos aqui, estes são fatores essenciais para o sucesso da área de medicamentos.

Assim como é preciso considerar também, o quanto é importante a transparência neste setor. Já que todos os interesses dos envolvidos precisam ser atendidos, o processo deve ser efetivo para que a credibilidade seja sempre alta.

Adotar este sistema é estabelecer um cenário positivo, tanto internamente quanto externamente, no que é mostrado para o mercado.

OBSERVAÇÃO: Tentamos contato com a gerente jurídica e compliance, Leila Santos, por e-mail no dia 24/07 e dia 28/07, mas não tivemos sucesso. Caso queiram complementar o conteúdo com informações internas, podem nos enviar por e-mail e faremos a inclusão.

deixe um comentário