Notícias
Como equilibrar a vida profissional e pessoal durante o Home Office?

Como equilibrar a vida profissional e pessoal durante o Home Office?

07/12/2020

A rotina pessoal e profissional passou por mudanças drásticas com a realidade do home office estando em evidência. A prática foi uma das alternativas encontradas durante a pandemia para manter a estrutura de trabalho das empresas.

Mas, diferente de uma adoção em outros momentos, agora o cenário é outro. Filhos e demais familiares começaram a fazer parte da equação e manter o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional se tornou um desafio.

Pensando nisso, é preciso que o home office seja responsável, sendo necessário escutar as pessoas e verificar o que funciona e o que não funciona. E se você quer saber mais sobre isso, a seguir vamos trazer alguns pontos importantes!

Veja quais tópicos vamos abordar:

Vida pessoal, vida profissional e a produtividade

O dia a dia agora ficou, digamos, restrito a um único ambiente. Lazer e trabalho passaram a dividir o mesmo espaço e, muitas vezes, até se misturam.

Com isso, é preciso considerar um novo aspecto. Vida pessoal e profissional se complementam e este momento criou uma conexão forte entre ambos. Tanto na parte da empresa, quanto do colaborador, foi essencial a adaptação.

No começo da pandemia, foi preciso uma ação rápida, que transformou a forma como as pessoas desempenhavam suas atividades. No Grupo Elfa, 70% dos funcionários passaram a trabalhar em home office, em período de cinco dias.

Para que essa rápida transição não sofresse com impactos negativos de uma nova rotina, algumas questões vieram à tona, como explica a diretora de Gente e Gestão do Grupo Elfa, Aline Sueth. “Nós pedimos muita paciência, tolerância, pois era um momento importante de adaptação. Tentamos conscientizar as pessoas, principalmente os gestores, que esta é uma rotina diferente. Estamos falando de pessoas que ficam em casa e também tem obrigações, em especial aqueles que possuem filhos, que acabam tendo outras preocupações e cuidados ao longo do dia, já que todos estão em casa”, ressaltou.

Todo esse processo transformador não foi iniciado tão repentinamente assim. Com a pandemia, muitas coisas foram aceleradas e potencializadas e a percepção disso aconteceu em um curto espaço de tempo.

Neste ponto temos também o fato de que equilibrar vida pessoal e profissional sempre esteve em pauta. “A gente já vinha com um movimento de muitas coisas que foram sendo potencializadas e acabou se criando uma certa urgência por conta da pandemia. Mas, na verdade, esse movimento de conexão entre pessoal e profissional, era uma intenção que a gente já tinha, como ser humano, de viver uma vida única que pudesse se conectar o tempo todo”, destacou Aline Sueth.

A rotina da felicidade

Outro fator importante é o bem estar emocional. As pessoas já estão pagando um preço alto por não estarem preparadas para administrar esse momento e manter a produtividade em um ambiente familiar.

Antes era comum um pensamento engessado, baseado em: trabalho se faz na empresa e vida pessoal se faz em casa. Mas, com essa junção que temos agora, é fundamental considerar todo o envolvimento.

Essa rotina agora precisa considerar o valor da felicidade. “Neste momento, passamos a entender melhor o que precisamos para ter uma vida mais plena. Algo que interfere muito nessa conexão entre o pessoal e o profissional é a felicidade das pessoas, pois hoje se dá muito valor ao fato de ser feliz, em todos os aspectos da vida”, explicou.

No que diz respeito a vida profissional, a qualidade dos relacionamentos vai interferir neste sentimento de felicidade. O home office então trará alguns impactos nisso.

O fato de não criar intimidade e um laço de confiança com os funcionários e clientes terá diversos efeitos, tanto para empresa quanto para os executivos.

Como fica o home office quando a pandemia acabar?

O home office vem para ficar, não é algo apenas por conta da pandemia. Essa tendência já vinha aparecendo e sendo percebida por todos. Com isso, alguns paradigmas desta prática estão sendo quebrados ao longo do tempo.

As pessoas, atualmente, querem viver uma vida como parte de um todo e não em prol de segmentar os momentos. Quando a pandemia acabar, será preciso criar um meio termo, para que haja tanto uma retomada ao escritório, quanto a manutenção do home office.

Neste contexto, é importante ressaltar que os extremos não vão ser a melhor opção!

deixe um comentário